Culpa ou 

Responsabilidade?

"Quem nunca se defendeu: " A culpa não é minha! " Ou atacou: " A culpa é tua!"?

Normalmente "ter culpa", não trás nada de positivo, e, se voltarmos atrás no tempo,  enquanto crianças, de seguida vinha o "ralhete" (ou o castigo da praxe), para nos fazer perceber, que quando fazemos asneiras sofremos as consequências... 

E, se enquanto crianças a finalidade era fugir ao castigo, enquanto adultos, mais complexos, aquilo que pretendemos é, exatamente a mesma coisa! Claro!  

No entanto, as responsabilidades inerentes à idade, à situação em si, ou à resolução do problema, elevam a fasquia do "castigo", para outro patamar.

Quando dizemos, ou pensamos que a culpa não é nossa, existe uma desresponsabilização, muitas vezes inconsciente, da situação em si, e naturalmente a ausência de pro atividade na resolução do problema. (Se a culpa não é minha, desvalorizo a situação e não tenho que me esforçar para a resolver... deixo andar!)

Ou, numa outra perspectiva:

Como é que normalmente nos sentimos, quando nos consideramos culpados por algo? 

Se esse "algo" realmente nos perturbar, vai deixar-nos deprimidos e arrasar a nossa auto-confiança. Estamos maioritariamente focados no problema e acreditamos que não somos merecedores de uma segunda oportunidade. O mais provável é errar outra vez, e isto para não falar daquilo que os outros vão pensar de nós...

 

Quem nunca??!!

 

Mais uma vez: depressão, ausência de motivação e falta de dinamismo.

E se ressignificarmos? Tira a "culpa" do teu dicionário e assume a RESPONSABILIDADE. 

  • Começa por reconhecer que, o erro que cometeste não foi propositado, e que a tua verdadeira intenção foi a melhor.

  • Perceber porque cometeste um determinado erro, pode ajudar na sua resolução e evitar que outros erros aconteçam. 

  • Perdoa-te... só não erra, quem não faz.

Quando assumes o erro , a culpa dá lugar à RESPONSABILIDADE e o teu foco passa ser na SOLUÇÃO.

A verdade é que vais cair mais vezes, a diferença, vai estar no tempo que precisas para te levantares." 

                                                                                                                                                                                                                                Começa em Ti, 

Roxo%2520Flor%2520Casamento%2520Instagra
logo%2520Sandra%2520Santos%2520Rodrigues

Hábitos... 

"Loucura é querer resultados diferentes, fazendo tudo exatamente igual."

Albert Einstein

 

 

Hábitos são comportamentos ou acções que realizamos repetidamente, muitas vezes de forma inconsciente, e que completam a nossa rotina.

Se pensarmos bem, uma grande parte daquilo que fazemos diariamente, fazemo-lo em "piloto automático", como lavar os dentes, abrir os estores ou conduzir.

Tomemos como exemplo alguém que acaba de tirar a carta: inicialmente existem uma serie de fatores que são revistos de forma consciente antes e durante a condução, para que nada falhe, e esta tarefa seja concluída com sucesso. Com a prática, esta acção torna-se automática, e conduzir passa a ser mais um hábito na nossa rotina, e fazemos-lo inclusive enquanto ouvimos música ou mantemos uma conversa. 

No entanto, da mesma forma que o nosso cérebro é perito em criar hábitos que nos ajudam, em função da nossa rotina diária, a verdade é que nem sempre os nossos hábitos nos impulsionam. 

​Já pensaste que os hábitos que tens (e os que não tens), podem estar diretamente ligados aos teus resultados?

Assim como um "bom" hábito nos ajuda e nos conduz num caminho consistente e mais direto até ao nosso resultado, outro hábito pode fazer com que, gradualmente, nos distanciemos do nosso objetivo, podendo mesmo determinar a sua conquista. 

Muitas vezes um hábito que à primeira vista parece "inofensivo", na nossa rotina, pode trazer agregado outros hábitos  menos "saudáveis" que não permitem que avancemos ao ritmo desejado. 

 

Pensemos em alguém que está a tentar deixar de fumar. O hábito de acender um cigarro, pode estar diretamente ligado a outro hábito simples, como beber um café. 

Como assim? Se a minha intenção é deixar de fumar mas sempre que bebo um café tenho vontade de fumar um cigarro, então o meu hábito inofensivo está no caminho do meu objetivo. 

Não quero com isto dizer que não é possível de alcançar, mas será, certamente, um maior desafio. 

Já ouviste a expressão " O Ser Humano é um animal de hábitos"?

A boa noticia é que podemos adquirir novos hábitos e até moldar os hábitos que já temos. Todo o hábito trás uma recompensa, e quando eu percebo qual é o ganho por trás do meu hábito, estou a criar as condições para o moldar, ou até construir um novo. 

Revê a tua rotina e tenta perceber quais são os hábitos que te estão a distanciar daquilo que definiste. 

 - Que comportamentos estarias  disposta/o a mudar para chegares onde queres?

 - Como mudaria a tua vida se o fizesses? 

Lembra-te,

 

"Tudo aquilo que não estás a mudar, estás a escolher."  

                                                                                                                                                                                                                     Começa em ti, 

 

 

 

 

 

 

 

 

Roxo%2520Flor%2520Casamento%2520Instagra

TESTEMUNHOS

"Estive cerca de um ano num processo de Coaching com a Sandra. Comecei numa fase difícil da minha vida, e a Sandra foi-me sempre fazendo questionar, estimulou o melhor que estava dentro de mim e trouxe à tona capacidades/qualidades que estavam adormecidas/desconhecidas em mim.

Foi, muitas vezes, a minha força e a que me ajudou a criar a visão para a minha vida e a trazer o foco, a disciplina e o trabalho ao meu quotidiano.

Hoje sou muito feliz em todas as áreas da minha vida e profissionalmente estou muito realizada. Muito o devo à Sandra."

Mafalda Vieira